Categoria: Noticias


24.09.20



A premiação brasileira MTV Miaw chegou em sua 3° edição esse ano, e Ariana concorreu pelo segundo ano consecutivo, dessa vez em duas indicações, e eram elas:

Hit GlobalRain on me (Lady Gaga e Ariana Grande)

Feat Gringo – Ariana Grande & Justin Bieber – Stuck with U

Feat Gringo – Lady Gaga, Ariana Grande – Rain on me

Através de votação popular, ela conseguiu levar uma das duas indicações aos quais estava concorrendo, sendo ela Hit Global!

Ao receber o prêmio, Lady Gaga agradeceu e mandou um recado “Ariana, minha mana, eu te amo!”

Lembrando que no ano passado Ariana também concorreu ao MTV Miaw e recebeu uma indicação para Hit Global, com Thank U Next, e a famosa Piggie Smalls foi indicada como Pet do Ano, mas ela acabou não levando nenhum prêmio.


23.09.20



Em uma entrevista recente com a Insider, Tayla Parx revelou que esteve no estúdio com Grande, “trabalhando no novo álbum.”

“A equipe de ‘thank u, next’ se reuniu na quarentena – depois de tipo, cinco testes de COVID, literalmente,” Parx disse. “Nós estamos deixando fluir naturalmente, do mesmo jeito do último álbum.”

“Eu acho que ela pode te contar mais [sobre o álbum], mas eu posso dizer que, novamente, ela evoluiu.” Parx contou quando foi pressionada a dar detalhes.

“E é para isso que estou aqui, é esse tipo de música que quero criar com artistas,” ela continuou. “Músicas que permitam que eles mostrem lados diferentes de si mesmos em cada projeto. E nós vamos conhecer ela ainda mais dessa vez, algo que estou bem animada para o mundo ver.”

“Eu estou ansiosa para que ela conte mais a vocês sobre onde ela está mentalmente com esse projeto, porque é realmente incrível, sinceramente, e eu mal posso esperar para o mundo ouvir.”


11.09.20



Em entrevista recente à People, o coreógrafo Richy Jackson, responsável por “Rain On Me” e a performance no VMAs, contou um pouco sobre como foi trabalhar com Ariana Grande e a relação da cantora com a popstar Lady Gaga. Confira trechos da entrevista abaixo:

“Ari se permitiu entrar no nosso mundo. Ela falou com Gaga sobre a maneira como Gaga viu o vídeo, como ela viu a moda, o cabelo, a maquiagem, a dança… Ela estava muito livre para entrar no mundo da House of Gaga, se apresentar e dar seu melhor, através dos nossos olhos, nossas lentes e nossa coreografia. Ela foi incrível, [e o resultado] foi lindo.”

Sobre como elas eram trabalhando juntas:

“Meu Deus, como irmãs. [Durante os ensaios] elas estavam rindo, brincando, falando sobre moda, treinando os passos, conversando, combinando uma com a outra. Foi um trabalho duro, embora estivéssemos trabalhando, foi muito divertido.”

Sobre os desafios de trazer o universo das duas em uma música:

“Para o clipe, minha visão da coreografia era como fazer Gaga e Ariana se destacarem como duas artistas separadas com seus passos de dança e depois como juntar as duas nessa música fantástica.”

Sobre a reação de Ariana à coreografia:

“Quando ela viu a coreografia, ficou muito feliz, ela aplaudiu! Então eu perguntei a ela, ‘quanto disso você quer aprender?’ e ela disse, ‘eu quero aprender tudo.'”

 


31.08.20



Ontem (30), aconteceu a 37˚ edição do MTV Video Music Awards. Acumulando o maior número de indicações da edição, com “Rain On Me” e “Stuck With U”, Ariana uma das maiores vencedoras da noite, conquistando 4 categorias de 9 às quais foi indicada, coisa que já era de se esperar!

Sendo a performance mais comentada e esperada da noite, Gaga e Ariana apresentaram “Rain On Me” de forma gravada seguindo os critérios de segurança por conta da pandemia, e sem nenhum público. Mesmo devido a certas restrições e cuidados, a performance não deixou a desejar, e as duas entregaram muita voz e dança! Com um cenário inspirado em “Chromatica”, o single fez parte de um medley de algumas músicas do último álbum de Lady Gaga.

Infelizmente, Ariana Grande acabou não participando de outros momentos da premiação. Ela fez seu red carpet em casa, postando algumas fotos no Instagram, e agradeceu aos fãs e Lady Gaga pelos prêmios recebidos. Confira abaixo fotos e vídeos da passagem da cantora pelo VMAs 2020:

FOTOS: Red Carpet (De casa)

003~83.jpg  004~68.jpg  006~39.jpg  007~39.jpg  008~30.jpg

FOTOS: Performance

0044.jpg  0055.jpg  0033.jpg  0022.jpg  0011.jpg

FOTOS: Backstage

002~121.jpg  118607459_186559206252296_4608772144732075982_n.jpg  118633690_336650367384175_6329738553367500414_n.jpg  118566003_2758160404441959_3750240597547822380_n.jpg  EgxPLZOU0AA1CUJ.jpg

VÍDEO: Performance


25.08.20



Nessa terça-feira (25) de agosto, o primeiro álbum de Ariana “Yours Truly“, que marcou o seu debut, completou 6 anos, e dada essa data importante, a Billboard compartilhou um artigo referente a evolução da Ari desde seu debut até “My Everything“, avaliando Track-by-Track do álbum.

É fácil de enxergar que nos últimos meses, Ari se transformou de uma artista pop que você deveria conhecer para uma superstar inegável, com três singles no Top 10 do Hot 100 atual.

Conforme o tempo passa, Ari consegue se expandir mais, tanto como marca quanto como música; conforme seu perfil fica maior, ela traz mais sons para seu repertório, enquanto mantém sua maior arma, seu alcance vocal, como uma base sólida.

My Everything é um projeto menos coeso do que Yours Truly, embora seus melhores momentos eclipsem os pontos altos da estreia de Grande em 2013. Os singles “Problem” e “Break Free” continuam sendo músicas dançantes estonteantes, e as canções solo consecutivas “One Last Time” e “Why Try” possuem os tipos de melodias perfeitas que são tipicamente reservadas para as maiores divas pop do mundo.

Confira a seguir a avaliação do álbum:

“Quais músicas em My Everything valem a pena ser ouvidas repetidamente? Confira nossa análise faixa por faixa do segundo álbum de Ariana Grande.”

  • 1. Intro – 80 segundos que dão as boas-vindas aos fãs de Ari de volta ao grupo, lembrando a todos que sua voz ainda é uma maravilha e que ela ainda está preocupada em encontrar o amor incondicional.
  • 2. Problem feat. Iggy Azalea – A introdução sutil leva diretamente ao irresistível e inescapável single “Problem“, em que Ari convida Iggy Azalea, o sussurro de Big Sean e um riff estridente de trompa ao fundo. Conforme o tempo passa e as jogadas se somam, começa-se a notar a maneira como Ariana agilmente lida com seus vocais start-stop, com versos como “And even though I can’t forgive you/I really want to, I want you” with a playful breathlessness before yearning on the following line, “Tell me, tell me, baby/Why can’t you leave me?”
  • 3. One Last Time – Uma música como “One Last Time” demonstra a maturidade e ambição de Ari em My Everything: enquanto a admissão pessimista de “I know/that you got everything/But I got nothing here without you” é o som dolorido de um narrador torturado pela culpa , o refrão deixa de lado essa humilhação e traz um sentimento de esperança na frente de uma bateria forte e uma linha de sintetizador de três notas.
  • 4. Why Try – Co-escrito e co-produzido por Ryan Tedder, “Why Try” é construído como “Halo” de Ariana, um momento de diva ousado que atinge o ouvinte com poder vocal e emoção mid-tempo. A letra pode ter precisado de algum polimento, mas Ari apresenta uma frase como “Now we’re screaming just to see who’s louder” as if her livelihood depended upon it.
  • 5. Break Free feat. Zedd – Com a ajuda do maestro de EDM Zedd, o segundo single “Break Free” é a antítese total de seu antecessor “Problem“. Considerando que a colaboração de Iggy Azalea / Big Sean / Max Martin foi um amálgama de pia de cozinha de vários talentos, “Break Free” possui um foco de laser, com a música eletrônica bizarra de Zedd servindo como uma plataforma gelada para o gancho imenso Ari e rimas forçadas. Um single de dança subestimado e cativante.
  • 6. Best Mistake feat. Big Sean – Uma balada melancólica que fica mais grudenta a cada ouvido, “Best Mistake” traz uma coleção organizada de detalhes de produção impressionantes, as pontadas momentâneas das cordas entre eles. O verso de Big Sean convidado é desnecessário, mas se transformou em um confessionário interessante agora que os rumores de namoro começaram.
  • 7. Be My Baby feat. Cashmere Cat – A voz de Ariana levanta muitas comparações com Mariah Carey, e em “Be My Baby“, a cantora mais jovem tenta evocar o romance indiferente dos melhores cortes de R&B de Carey no início dos anos 90. Ironicamente, a música parece que teria sido melhor servida por outro vocalista, já que a flauta estrondosa de Ariana ameaça dominar a atmosfera casual. Uma faixa sólida que move o álbum rapidamente, mas longe do momento brilhante de Grande em “My Everything“.
  • 8. Break Your Heart Right Back feat. Childish Gambino – O relativo passo em falso “Be My Baby” permite que a faixa seguinte “Break Your Heart Right Back” brilhe ainda mais, já que Ariana soa infinitamente mais confortável com a faixa do amante desprezado e a interpolação furtiva de “I’m Coming Out” de Diana Ross.
  • 9. Love Me Harder feat. The Weeknd – Ariana e The Weeknd vêm de planetas musicais totalmente diferentes. Ari começou na Nickelodeon, Abel Tesfaye começou cantando “Codeine cups paint a picture so vivid” em sua primeira mixtape – mas como parceiros de dueto no elástico “Love Me Harder“, o emparelhamento de alguma forma faz sentido. O riff de guitarra no refrão é o delicioso queijo dos anos 80, e o canto ultra-sincero do Weeknd funciona bem enquanto serve como retorno de chamada para as demandas de Grande por satisfação romântica.
  • 10. Just a Little Bit of Your Heart – Também conhecido como “aquela co-escrito por Harry Styles do One Direction”, “Just a Little Bit of Your Heart” é outra vitrine para a habilidade estelar de Ariana de emocionar toda a sua balada de amor comum … mas esta não fica acima da média . O refrão final contém algumas notas espetacularmente altas, pelo menos.
  • 11. Hands on Me feat. A$AP Ferg – Uau! Um banger fora do campo que remove Grande de sua fase adolescente e encontra a jovem de 21 anos descobrindo sua Rihanna interior com frases como: “Shirt off, keep the high heels on/Might be a little thing but I like that long, yeah/Don’t let these eyes fool ya/I can take it, hold nothing back, give it to me.” A$AP Ferg dança em torno da música ousada como um bobo da corte, mas não consegue se distrair de Ariana, essencialmente, declarando que este é o fim da fase de zombaria da Nickelodeon.
  • 12. My Everything – Enquanto Yours Truly terminou com “Better Left Unsaid“, uma dica da incursão de Ariana na música dance, a faixa-título de My Everything conclui a edição padrão do álbum com uma nota sombria. Uma balada mais comovente do que “Just a Little Bit of Your Heart“, “My Everything” chama de volta para a introdução do álbum e encontra Ari lutando para recuperar a base sólida que uma vez teve com seu parceiro.
  • 13. Bang Bang with Jessie J & Nicki Minaj (bonus edition) – Jessie, Ari e Nicki se juntam para a versão desta década de “Lady Marmalade” e um dos momentos mais divertidos de My Everything. Ariana amorosamente cede os holofotes aos melismas massivos de Jessie J e aos duplos sentidos de Minaj.
  • 14. Only 1 (bonus edition) – “Only 1” se desenrola como o melhor tipo de faixa da edição bônus: uma que não se encaixa perfeitamente na edição padrão, mas merece a chance de ser digerida pela base de fãs fanáticos da artista. Curto, rápido e suntuoso, “Only 1” é uma confecção leve que faz sucesso devido à sua percussão ocupada e intrincada.
  • 15. You Don’t Know Me (bonus edition) – A edição deluxe de “My Everything” termina com o primeiro discurso anti-fama de Grande. “You want a perfect picture to believe in/Then you can’t be looking for me then,” ela canta, sugerindo mais confusão no álbum número três.

Fonte: Billboard


18.08.20



Na quinta-feira (17) o site Insider publicou em sua página uma classificação dos 5 álbuns de Ariana, avaliando cada um deles com fatores de coesão, qualidade e engenhosidade.

Já faz 7 anos que o debut de Ariana Grande aconteceu, com o álbum “Yours Truly”, desde então ela se tornou uma das vozes mais poderosas no meio da industria musical. Ao longo de toda sua carreira na música, ela acumula vários recordes, entre eles alguns inéditos, streamings e prêmios.

A classificação publicada pelo site foi a seguinte:

  • 5. Yours Truly (é sua coleção de canções mais desigual).

Esse álbum retrata Ariana Grande como uma jovem do teatro e uma entusiasta estudante de música. As faixas variam com vocais inspirados na Broadway, harmonias a capella e melodias retrô. Ariana usou várias bases, desde a diva pop dos anos 90 (“Lovin ‘It”) ao funk dos anos 70 (“Right There”) e o hip-hop da Costa Leste (“The Way”).

Dependendo do dia, entre quatro a sete de suas 12 músicas podem ser puladas imediatamente.

Melhores músicas: “Baby I”, “Right There”, “The Way”, “You Never Know”

Piores músicas: “Piano”, “Daydreamin”, “Almost Is Never Enough”, “Canção Popular”, “Better Left Unsaid”

  • 4. My Everything (Ariana mostrou crescimento, mas muito do álbum soa como hoje).

Apesar do curto intervalo entre os dois primeiros álbuns, “My Everything” reintroduziu Ariana como uma estrela astuta e ambiciosa. Ao criar seu segundo álbum não recapitulou os sucessos de sua estreia, uma armadilha na qual muitos jovens artistas tendem a cair, em vez disso ela estudou as tendências musicais da época e provou que podia dominá-los.

Em seus melhores momentos, “My Everything” é confiante e dançante sem soar cafona ou superproduzida. No entanto, Grande estava tão pronta para ocupar seu lugar na paisagem pop de 2014 que “My Everything” sacrificou um pouco de personalidade e poder de permanência.

Melhores músicas: “Problem”, “One Last Time”, “Be My Baby”, “Break Your Heart Right Back”, “Only 1”

Piores músicas: “Intro”, “Why Try”, “Hands on Me”, “Bang Bang”

  • 3. Dangerous Woman (é um disco pop poderoso com temas crescidos e vocais magistrais – embora não tenha uma perspectiva clara).

Embora Ariana tenha trocado suas orelhas de gato juvenis por luvas de látex e uma máscara de coelho, “Dangerous Woman” não é sexy apenas por ser sexy. O terceiro álbum finalmente começou a apresentá-la como uma pessoa tridimensional – e uma feminista sexualmente poderosa.

O alcance de quatro oitavas de Grande lhe permite soar equilibrada e adequada, e “Dangerous Woman” tira total proveito desse fato junto com um poderoso ritmo comandado (“Let Me Love You”, “Leave Me Lonely”) e como um pop explosivo (“Greedy”, “Bad Decisions”). Em termos de pura exaltação pop, “Dangerous Woman” está com o melhor. Este álbum é uma experiência de escuta eufórica com poucos pontos baixos – mas isso não significa que seja particularmente artístico ou coeso.

“Moonlight” é pura balada “Yours Truly” era, enquanto quatro canções depois, “Side to Side” se deleita com reggae. A tentativa difícil da canção “Everyday” é seguida diretamente pela acústica monótona de “Sometimes”. Este sequenciamento caótico pode ser evocativo se for intencional. Em vez disso, parece uma playlist “This Is Ariana Grande” no shuffle.

Melhores músicas: “Dangerous Woman”, “Be Alright”, “Into You”, “Greedy”, “Knew Better / Forever Boy”, “Thinking Bout You”

Piores músicas: “Everyday”, “Às vezes”, “Touch It”

  • 2. Sweetener (é o álbum mais original e experimental de Grande até hoje, rendendo muitas de suas melhores canções).

Esse álbum é a magia da lua azul, e não apenas porque o álbum é diferente de tudo no catálogo de Ariana. Ela que estava se aproximando do pico de sua fama, ficou mais conhecida por seus bops sexy e voz extraordinária, ainda assim, ela criou uma tracklist cintilante e reduzida usando vocais ofegantes e produções esquisitas.

Recentemente ela passou por um pesadelo real quando 22 fãs morreram em seu show de 2017 em Manchester, mas ela emergiu mais brilhante, mais corajosa e mais ela mesma do que nunca. Em vez de recuar para um território testado e comprovado, Ariana cantou sobre ansiedade e deu o nome de seu (agora ex) noivo a uma música. Ela expôs seu coração batendo e, em seguida, provavelmente dobrou o áudio real daqueles “thump-thump-thumps” nas camadas e harmonias de “Get Well Soon”.

“Sweetener” é o tipo de álbum em que você mergulha em um mundo nebuloso criado unicamente por Ariana, que parece desafiador e curador. Embora a tracklist de 15 músicas tenha alguns defeitos, o efeito geral permanece incrivelmente puro. Se Ariana não tivesse se superado com um álbum impossível de pular, apenas seis meses depois, “Sweetener” seria facilmente o número 1 nesta lista.

Melhores músicas: “R.E.M.”, “God Is a Woman”, “Everytime”, “No Tears Left to Cry”, “Goodnight n Go”, “Get Well Soon”

Piores músicas: “Blazed”, “The Light Is Coming”, “Borderline”

  • 1. Thank U Next (é um álbum icônico com uma tracklist impecável).

Ariana é uma artista singular e notável na medida em que sua música fica mais rica, nítida e interessante com o tempo. Esta é a única discografia que consigo pensar que pode ser classificada simultaneamente em ordem de qualidade e data de lançamento, cada álbum é melhor que o anterior.

“Thank U, Next” é o nº 1 natural nesta lista porque é o culminar de tudo o que Ariana faz de melhor: a mistura perfeita de seus vocais puros, ganchos pop, instintos de R&B e destemido lírico de alma. É tudo o que ela aprimorou e lutou. Somente um artista com tremendo talento, influência e força emocional poderia ter produzido e lançado um álbum como este.

“Thank U, Next” é facilmente a experiência de audição mais divertida, envolvente e coesa no álbum, mas também é um dos álbuns pop mais divertidos, envolventes e coesos da memória recente. Não há um único salto nesta tracklist. Se eu fosse forçado a escolher, “NASA” e “Make Up” poderiam ser os mais fracos do grupo, mas isso certamente não significa que eles são ruins. É uma prova da força deste álbum, que suas “piores” canções são apenas um pouco menos engenhosas do que o resto.

Melhores músicas: “Imagine”, “Needy”, “Fake Smile”, “Bad Idea”, “Ghostin”, “In My Head”, “Thank U, Next”

Piores músicas: “NASA”, “Make Up”

“Esta é uma coluna de opinião, os pensamentos expressos são do(s) autor(es)”. (INSIDER)

Fonte: INSIDER