Olá, Arianator! Bem-vindo(a) ao Ariana Grande Brasil, sua melhor fonte sobre a Ariana Grande no Brasil!






Compartilhe!

Em entrevista para o tradicional jornal norte-americano The Wall Street Journal, o empresário de Ariana Grande, Scooter Braun, comentou tudo sobre o período (até então oculto) em que Ariana Grande o demitiu e sobre a organização do evento One Love Manchester, após a tragédia que abalou a cantora. Confira logo abaixo a tradução dos trechos em que Ariana é citada:

Este final do mês de maio está levemente mais atarefado porque ele está se preparando para viajar de férias para a Espanha e para a Itália com sua mulher que é casado há três anos, Yael Bran, a co-fundadora e CEO da organização de caridade Fuck Cancer, e seus dois filhos, Jagger, de 2 anos, e Levi, de apenas 11 meses. Ele tem uma série de videoconferências, verificações em cada departamento e uma reunião de orçamento com a Universal Music Group (distribuidora da Schoolboy Records). Enquanto ele dá uma volta comigo, ele me diz que tem algumas ligações para fazer antes. Algumas delas são entrar em contato com Bieber, que estava em em turnê na europa e preparando-se para uma etapa na África do Sul; e com Grande, ou alguém da equipe da Dangerous Woman Tour, para ter certeza de que tudo está em ordem. A estrela formada na Nickelodeon que tornou-se uma sirene do pop tem uma apresentação em Manchester, na Inglaterra, que está para começar.

Trinta dias depois, o mundo descobriu a verdadeira voz de Braun que falha enquanto emociona-se. Juntamente com os 250 milhões de espectadores ao redor do mundo assistindo ao concerto One Love Manchester, Braun sobe nos palcos e fala com uma multidão de 55 mil pessoas no Old Traffor Cricket Ground, em Manchester. Há menos de duas semanas, um homem-bomba tinha matado 22 pessoas e ferido mais do que 250 — em sua maioria crianças e adolescentes — fora do concerto de Ariana na Manchester Arena.

Apesar de ter tido a ideia de um concerto beneficente logo após o ataque, Braun sabia que qualquer discussão sobre isso deveria esperar um tempo. “Ariana, com direitos claro, estava pertubada,” ele diz. “Ela estava tipo, ‘Eu acho que nunca mais poderei cantar essas músicas novamente.'” Braun estava em discussões sobre cancelar o resto da turnê, que estava marcada para ocorrer até setembro, quando recebeu uma mensagem de Grande pedindo-o para ligar para ela. Qaundo Braun entrou em contato com ela, ele relembra, “Ela disse, ‘Eu estive pensando bastante, e se não fizemos nada, todo mundo terá morrido em vão. Então qual é a sua ideia?'”.

Braun apresentou sua versão: “Eu gostaria de fazer um show, convidar as famílias e fazer uma campanha, primeiramente e mais importante, agora — não daqui alguns meses.” Sua ideia era organizar o show rapidamente. Até mesmo Grande questionou se não seria insensível fazer algo tão rápido. “Todo mundo disse, ‘É muito cedo. Ainda terá gente sendo enterrada,'” Braun relembra. “Minha pergunta então era: Quando? Daqui a quatro meses? Quatro anos? Seriamente, se não for agora, quando?”.

“Oh, eu tenho um ego,” Braun diz. “Você não chega nesse ponto sem ter um ego. Quando meus clientes agem de uma certa maneira, eu fico bravo e eles ficam bravos comigo. Mas com a Ariana, eu estava furioso, sabe?”

Depois de três anos de sucesso, Grande abruptamente demitiu Braun em fevereiro de 2016. “Aquilo foi sujo, mas não era a Ariana”, ele diz, referindo-se à algumas pessoas à sua volta.

O movimento surpreendeu a mãe de Ariana, Joan. “Eu acho que Ariana e Scooter estavam tomando dores cada vez maiores por causa da juventude de tudo,” ela diz. “Sempre esteve-se entendido que eles iriam voltar. O universo geralmente encarrega disso sozinho.”

Por volta de setembro do mesmo ano, Grande assinou contrato novamente com Braun para uma nova orientação na Dangerous Woman Tour. “Está melhor do que antes,” Braun diz, falando em seu escritório antes do ataque de Manchester. “Outro dia nós começamos a ter uma discussão. Eu disse, ‘Olha, se você quer seguir este caminho novamente, nós podemos.” E ela disse, ‘Não, você está certo — a gente já sabe o que acontece se nos tratarmos que nem porcaria.'”

Se ainda havia alguma pequena tensão, Manchester (evento que Grande não falou sobre publicamente) deixou isso de lado. “Manchester não mudou minha opinião sobre Scooter. Apenas a confirmou,” diz Joan. “Eu achei que suas palavras no palco foram incríveis. Pessoas às vezes não igualam sucesso com emoção, e isso pode ser um erro — basta olhar para Scooter.

Clique AQUI para acessar a reportagem completa, em inglês.

Categorias: Entrevista, Noticias